top of page
Buscar
  • Foto do escritorcontato811642

Pacientes oncológicos e os cuidados no inverno

Com o final de junho também chega a época mais fria do ano: o inverno. O que para muitas pessoas é um período aguardado devido as baixas temperaturas, para outras é um momento onde o cuidado com a saúde deve ser ainda mais reforçado, entre eles os pacientes oncológicos.



A médica otorrinolaringologista do COP – Centro de Oncologia do Paraná, Mariele Bolzan Lovato, explica que durante a época mais fria do ano o risco de infecções respiratórias aumenta, especialmente para os pacientes oncológicos. “Esses pacientes muitas vezes podem realizar tratamentos que deixam a imunidade comprometida, o que pode resultar em infecções com bactérias que circulam livremente pelo ar, como os vírus que causam gripes e resfriados”, aponta.



Por isso, é recomendado que neste período evite-se frequentar lugares muito fechados, principalmente onde não houver pontos de ventilação, ou espaço com um número elevados de pessoas. A médica otorrinolaringologista Mariele Bolzan Lovato faz a orientação: “Se precisar estar em locais populosos, lave as mãos frequentemente ou utilize álcool em gel na região e, se necessário, utilize máscara facial de proteção. Quando estiver em casa, mantenha os ambientes sempre limpos, sem muito acúmulo de poeira, e com ventilação adequada.



Além dessas ações para se evitar gripes e resfriados, por exemplo, também é importante que a população esteja em dia com a vacinação contra a gripe. A vacina é distribuída anualmente na rede pública de saúde e está disponível também em clínicas particulares de vacinação. “A vacina contra a gripe (influenza) e a vacina pneumocócica, que protege contra complicações relacionadas a pneumonias bacterianas, estão no topo da lista das mais importantes durante esse período”, explica a médica otorrinolaringologista.



A dúvida: pacientes oncológicos podem tomar a vacina?



Uma dúvida que persiste entre os pacientes oncológicos é se eles podem ou não tomar a vacina da gripe.  Os pacientes em tratamento oncológico podem utilizar a vacina, desde que o médico do paciente a tenha liberado



De acordo com a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica – SBOC, a imunização de pacientes oncológicos contra o vírus da Influenza pode reduzir em até 58% o risco de mortalidade por esse tipo de infecção. Por isso, é fundamental que todos os pacientes com câncer, a partir dos 6 meses de idade, recebam o imunizante, mas desde que o médico do paciente a tenha liberado.



Com relação à vacina pneumocócica, segundo informações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), entre as infecções de risco para pessoas com câncer destaca-se a doença pneumocócica (DP). Para esses pacientes, o risco de desenvolver a forma invasiva da DP é 12 vezes maior em relação à população geral e aumenta ainda mais se a pessoa estiver utilizando drogas imunossupressoras.



“A vacina pneumocócica vai ajudar a prevenir, principalmente, infecções graves nos pulmões, no sangue ou no cérebro causadas por bactérias. Pacientes com câncer devem receber dois tipos de vacina pneumocócica, que devem ser administradas duas semanas antes da quimioterapia. Mas é importante conversar com o médico que realiza o tratamento oncológico para ver se é possível ou não tomar esse tipo de vacina”, ressalta a médica otorrinolaringologista Mariele Bolzan Lovato, do COP – Centro de Oncologia do Paraná.



0 visualização0 comentário

Comentarios


bottom of page